Carioca & Devas

"Devas: palavra de origem hindu, refere-se a uma entidade divina sem poderes definidos; é um misto de anjo e Deus, podendo ser tudo e nada ao mesmo tempo. Baseado nessa definição, "Carioca" formou o Grupo Devas, o qual não tem definição musical nem rótulo. A cada trabalho, nova orientação é seguida. Existe a ideia de se fazer experimentos musicais, não importando o gênero, nacionalidade ou período histórico. No Grupo Devas muitos músicos tomaram parte: Ronaldo Leite de Freitas "Canhoto" Carioca (composição, vocal, guitarra de 12 e 6 cordas), Milton Mastantuono (guitarra) Péricles Tancredi "Peco" (bateria), Maria Eugênia G. Cortes "Gê" (baixo), Diógenes Lima de Camargo "Neno" (piano e órgão), Flávio de Camargo (bateria), Sérgis (baixo), Amilton (bateria), Serginho (baixo), Sérgio Otanazetra (percussão), Marquinhos "Burgo" (baixo), entre outros. O Grupo segue uma linha melódica baseada na música progressiva, se aproximando da música popular contemporânea. Essa nova fase musical parte para ritmos regionais com uma elaboração mais atual, chegando até ao dodecafonismo. São as matas de nossa terra, são as danças de nossos Estados, são as sirenes de nossas fábricas; enfim, tudo aquilo que podemos atingir com uma linguagem musical."                                                                                                                   - Carioca Freitas (1979)

"Devas: word of Hindu origin, refers to a divine entity without defined powers; it is a mixture of angel and God, it is everything and nothing at the same time. Based on this definition,"Carioca" formed the Devas Group, which has no musical definition or label. With each work, a new orientation is followed. There is the idea of ​​making musical experiments, regardless of genre, nationality or historical period. Many musicians took part in Devas: Ronaldo Leite de Freitas "Canhoto" Carioca (composition, vocals, 12 and 6 string guitars), Milton Mastantuono (eletric guitar) Péricles Tancredi "Peco" (drums), Maria Eugênia G. Cortes "Gê" (bass), Diógenes Lima de Camargo "Neno" (piano and organ), Flávio de Camargo (drums), Sérgis (bass), Amilton (drums), Serginho (bass), Sérgio Otanazetra (percussion), Marquinhos "Burgo" (bass), among others. The group follows a melodic line based on progressive music, approaching contemporary popular music. This new musical phase moves towards regional rhythms with a modern elaboration, reaching even dodecaphonism. They are the forests of our land, they are the dances of our States, they are the sirens of our factories; in short, everything we can achieve with a musical language. "                            - Carioca Freitas (1979)